Notícias

BANCO DO BRASIL AMPLIA CRÉDITO PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS EM R$ 11,6 BILHÕES

Na esteira da redução do custo do crédito para pessoa física em abril, o Banco do Brasil anunciou nesta segunda-feira a ampliação do crédito para micro e pequenas empresas em R$ 11,6 bilhões –a linha estará disponível a partir de amanhã. A informação foi antecipada pelo colunista da Folha Online Kennedy Alencar

Simultaneamente, o banco reduz taxas para operações com recebíveis (desconto de cheques e duplicatas) e capital de giro. Segundo Ricardo Flores, vice-presidente de Crédito do banco, "tem repasse [do corte] da taxa Selic e algo mais" –a taxa básica de juros caiu para 9,25% ao ano na semana passada.

Serão beneficiadas 303 mil empresas clientes do banco, que correspondem a cerca de 45% de micro e pequenas que compõem a carteira daquelas habilitadas a tomar crédito, com bom histórico de relacionamento.

As micro e pequenas empresas são aquelas com faturamento anual de até R$ 15 milhões por ano.

"Estamos extraindo valor das nossas bases de dados para nossos clientes e acionistas. Temos um grupo dedicado à gestão das bases buscando oportunidades para consolidar o BB como banco das micro e pequenas empresas", afirmou Ivan Monteiro, vice-presidente de Finanças do banco, em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira.

"O auge da crise já passou. É um momento de capturar aquele cliente q não foi atendido pelo seu banco tradicional", afirma Monteiro, que prevê um efeito, da medida, "extremamente positivo sobre a economia", já que o setor é responsável por cerca de 60% dos empregos formais no país e 22% do PIB (Produto Interno Bruto, soma de todas as riquezas produzidas no país).

A redução média nas taxas das seis linhas de operações contempladas pelo pacote foi em torno de 4%, de acordo com a diretoria do BB. "A intenção do banco é se antecipar aos concorrentes", afirma Ricardo Flores.

Novas taxas

Nesta segunda-feira também entraram em vigor as novas taxas de juros para pessoas físicas, que tiveram redução após o anúncio da nova Selic.

Entre as taxas que foram reduzidas, estão as do crédito veículos (1,19% a 2,40%), do material de construção (1,66% a 2,85%) e do crédito benefício (1,55% a 2,95%). Também foram reduzidas as taxas do BB crediário, crédito salário, crédito automático, cheque Especial e cartão de crédito.

 MARCELA CAMPOS
Colaboração para a Folha Online, em Brasília

 

Veja outras notícias

Trabalhadores do BB recebem PLR nesta sexta (1º)

Pagamento da divisão de lucros é um direito garantido ao trabalhador a partir de conquistas do movimento sindical O Banco do Brasil depositou nesta sexta-feira, 1º de março, a parcela da Participação nos Lucros e/ou Resultados, referente ao semestre, com base nos...

PLR na conta: como fica o imposto de renda

Tabela de tributação exclusiva é uma conquista da classe trabalhadora O último dia para que os bancos efetuem o pagamento da segunda parcela da Participação nos Lucros e/ou Resultados (PLR) é esta sexta-feira (1º/3), segundo o que está definido na Convenção Coletiva...

COE cobra do Bradesco compromisso com o emprego

Banco apresentou novo plano estratégico ao mercado no dia 7 de Fevereiro e reestruturação preocupou empregados A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco se reuniu, na tarde desta sexta-feira (1º), com a direção do banco para cobrar explicações sobre a...