Notícias

BRADESCO LUCRA MAIS DE R$ 4 BI NO SEMESTRE MAS NÃO CUMPRE SUAS OBRIGAÇÕES COM OS FUNCIONÁRIOS

O Bradesco terminou o segundo trimestre com lucro líquido de R$ 2,297 bilhões, um acréscimo de 14,7% no comparativo com os R$ 2,002 bilhões anotados entre abril e junho de 2008. No primeiro semestre de 2009, o banco verificou lucro líquido de R$ 4,020 bilhões, sendo R$ 2,732 bilhões originados das atividades financeiras e R$ 1,288 bilhão, das atividades do Grupo Bradesco de Seguros e Previdência.

Os números dão uma mostra do poderio econômico da empresa, que consegue fechar o primeiro semestre pós-crise com lucro bilionário enquanto muitas instituições financeiras fecharam as portas em função da turbulência econômica mundial.

Com todos esses recursos no cofre, o Bradesco continua ignorando os principais responsáveis pelo desempenho favorável: os funcionários. Em vez de se preocupar em oferecer condições dignas de trabalho e investir em auxílio-educação, prefere gastar milhões em campanhas publicitárias para passar à opinião público uma imagem que não corresponde à realidade.

O Bradesco voltou a mudar o conceito de sua marca. Agora, a palavra é presença. Mais uma vez, o trocadilho perfeito para que se possa cobrar uma postura do banco: ausência.

O Bradesco é ausência total em conquistas dos bancários. É o ÚNICO banco, entre todas as grandes empresas que atuam no Brasil, a NÃO CONCECER o AUXÍLIO-EDUCAÇÃO, conquista que vigora em todas as outras instituições financeiras desde 2007. Que presença é essa?

Depois de se declarar o banco completo, a o banco gastOUfortunas para anunciar em horário nobre na tevê que sua meta é inovar. Uma afronta frente ao que realmente acontece no dia-a-dia de trabalhadores, usuários e clientes do Bradesco.

O banco que "inova" é o único no Brasil que não oferece auxílio-educação aos seus funcionáriosPior do que isso: o banco "completo" se nega a cumprir a convenção coletiva mas cobra qualificação e estudo de seus trabalhadores. O banco só enrola na mesa de negociações e alega que o treinamento interno é suficiente. Só que, na prática, cobra que os bancários se aprimorem.

Também falta muito para que o banco completo cumpra sua parte e inove no quesito saúde. No Interior do Estado, há bancários que precisam percorrer mais de 100 quilômetros para conseguir uma consulta pelo convênio, denuncia o SindBancários.

O desrespeito da empresa não é só com os trabalhadores. O Bradesco ignora completamente sua responsabilidade com clientes e usuários ao não oferecer os critérios mínimos de segurança . Em Porto Alegre, por exemplo, o banco faz vistas grossas à legislação que obriga a colocação da porta detectora de metais na entrada das agências – antes do autoatendimento – e da colocação de vidros blindados nas fachadas. Clientes e usuários também são vítimas da redução de pessoal, o que tem diminuído cada vez mais o número de caixas, fazendo com que as filas sejam intermináveis.

Na prática, o banco só cobra, mas não há qualquer contrapartida. Mesmo com o lucro bilionário que o Bradesco registra a cada ano, a má vontade em atender reivindicações legítimas da categoria segue por parte da empresa. Por isso, a luta do SindBancários em defesa dos direitos do trabalhadores é constante e está cada vez mais forte.

As reivindicações dos funcionários do Bradesco

Entre as reivindicações dos bancários, estão a inclusão dos pais no plano de saúde, concessão de auxílio-educação, Plano de Cargos e Salários transparente , melhor Participação nos Lucros e Resultados, melhores salários, igualdade de oportunidades, licença-maternidade de 180 dias, respeito aos lesionados, possibilitar treinamento (Trainet) no local de trabalho e não em casa, melhores condições de trabalho, fim do assédio moral e das metas, respeito ao direito de greve, mais investimento em segurança, respeito à Lei das Filas e da Blindagem, mais bancários, menores juros e tarifas. Falta apenas o Bradesco cumprir sua parte.

Pais e filhos

Se o desejo do banco é melhorar a qualidade de vida dos funcionários, uma ótima iniciativa é pensar na família, nas preocupações e fragilidades que aparecem com o tempo e com a idade, e a necessidade da cobertura dos pais no plano de saúde, que em muitos casos, se tornam com o tempo, dependentes dos filhos.

Diversidade

A igualdade de oportunidade é um dos assuntos debatidos na campanha de valorização dos funcionários do Bradesco.

Para inovar e valorizar a categoria, uma das reivindicações é a isonomia de tratamento para homoafetivos, como a extensão de plano de saúde a parceiros do mesmo sexo, como já fazem o Banco do Brasil e a Caixa Federal.

Outro assunto é o tratamento das pessoas com deficiência. Elas são apenas 1.285 dos 86.622 trabalhadores da empresa, de acordo com o balanço social e ambiental do banco, de 2008, que não divulga se alguma dessas pessoas ocupa cargo de chefia. É preciso priorizar a contratação de trabalhadores com deficiência e, mais do que isso, pensar na ascensão profissional desses bancários.

Mulheres

O espaço das mulheres na instituição também merece atenção. Embora tenha ocorrido uma ampliação nos cargos de chefia, o percentual ainda é insuficiente principalmente em funções de maior remuneração.

Negros

Nos seus indicadores, o banco apresenta que 13.374 funcionários são negros, mas o dado não é específico da função de bancário. Isso mostra que o número de bancários negros e bancárias negras é ainda menor. Desses trabalhadores, somente 14,40% estão nos cargos de chefia.

Maternidade

Ampliar a licença-maternidade de quatro para seis meses é uma das principais reivindicações desde que a lei foi aprovada pelo Congresso Nacional. Como ela é facultativa, os bancos têm se negado a cumprir.

Além da campanha que o Sindicato está fazendo para pressionar todos os bancos, os funcionários do Bradesco estão usando o bom humor para mostrar para a empresa a importância da medida, afinal, o banco não terá ônus aos seus recheados cofres.

Até o momento apenas o Banco do Brasil implantou o benefício. Trata-se da primeira instituição do sistema financeiro a conceder o prazo de 180 dias, reivindicação que o Bradesco se recusa aplicar. Também é o único banco que ainda não oferece auxílio-educação aos seus empregados. O Bradesco segue Incompleto.

Os números do Bradesco

Entre abril e junho deste exercício, observou o banco, "a crise econômica iniciada no 4º trimestre de 2008, ainda afetou a atividade financeira, com reflexo no baixo crescimento da carteira de crédito, e com manutenção de um nível elevado de inadimplência". Em junho, os ativos totais chegaram a R$ 482,478 bilhões, com expansão de 19,7%. O patrimônio líquido subiu 10,6%, para R$ 37,277 bilhões.

A carteira de crédito total, que inclui avais e fianças, antecipação de recebíveis de cartões de crédito e cessões de crédito (FIDC e CRI), somou R$ 212,768 bilhões em junho, o que implica elevação de 18,1% perante igual intervalo do exercício passado.

"Operações com pessoas físicas totalizaram R$ 74,288 bilhões (crescimento de 13,2%), enquanto as operações com pessoas jurídicas atingiram o montante de R$ 138,480 bilhões (crescimento de 20,9%)", destacou a instituição em nota.

 Fonte: SindBancários e Valor Online

Veja outras notícias

Advogada alerta para regras de transição

Após a Reforma da Previdenciária de 2019, que à época retirou direitos fundamentais de mais de 100 milhões de brasileiros(as, quem já estava no mercado de trabalho e perto de se aposentar pode utilizar uma das quatro Regras de Transição para se aposentar, como explica...

Funcef ataca democracia ao descumprir edital de eleição

Decisão temerária e sem transparência para reabrir inscrições de candidatos macula o processo A Fundação dos Economiários Federais (Funcef), que administra os fundos de previdência das empregadas e empregados da Caixa Econômica Federal, sem apresentar qualquer...

COE Santander conquista avanços para os Gerentes Empresas

Processo de negociação sobre Multicanalidade Santander ainda vai continuar para beneficiar todos os trabalhadores da rede de agências A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander saiu da reunião com a direção do banco, nesta quinta-feira (22), com...