Notícias

Categoria desenvolve cartilha de atuação em redes sociais

Projeto, que já está em fase de finalização, foi apresentado durante 26ª Conferência Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro

Para contribuir com a formação da categoria, a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) está desenvolvendo a cartilha “Estratégia de atuação conjunta nas redes sociais”. O anúncio foi feito pelo vice-presidente da entidade, Vinícius Assumpção, neste domingo (9), durante o terceiro e último dia da 26ª Conferência Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, na capital paulista.

Assumpção ressaltou a importância da cartilha como instrumento de fortalecimento de luta. “A nova realidade nos impõe essa soma na comunicação,” afirmou. “Esse debate, sobre o uso das redes sociais, é um debate que temos tido dificuldades para desenvolver, principalmente entre os nossos dirigentes. Por exemplo, alguns ficam preocupados de misturar redes sociais, de uso pessoal, com o trabalho. Então, nessa cartilha, também explicamos que é possível criar outra conta para essa função de luta”, reforçou.

O material, que está na fase final de elaboração, tem capítulos sobre Facebook, Instagram, X (ex-Twitter), WhatsApp (como criar lista de transmissão e diferenças entre grupos e listas), gerenciamento entre grupos e listas de transmissão, além de um capítulo sobre estratégias para o modelo de comunicação por redes sociais. E, assim que concluído, será disponibilizado na área restrita do portal da Contraf-CUT, para os dirigentes dos sindicatos e federações.

“Precisamos furar essa bolha da categoria bancária e induzir o algoritmo para levar nossas propostas também para a sociedade e fazer grandes debates que interessam a todos, como, por exemplo, sobre o sistema financeiro nacional,” completou Assumpção.
Vídeos de como atuar nas redes sociais

Além da cartilha, o projeto conta com vídeos curtos e tutoriais, que explicam de forma prática, como usar as principais redes sociais e de comunicação: WhatsApp, Instagram, Facebook, YouTube e TikTok.

Ao final da apresentação do projeto, Vinícius Assumpção defendeu uma ação coordenada nas redes sociais. “Cada sindicato deve definir um dirigente para coordenar esse projeto de forma estratégica e unificada, para fortalecer nossa comunicação. Essa mobilização coordenada, além de ampliar o alcance das mensagens na sociedade, também nos ajudará a atingir um grande número de bancários que atualmente trabalham em home office”, concluiu.

FONTE: CONTRAF

Veja outras notícias

Cassi: diretores e conselheiros eleitos tomam posse

Com a oficialização da posse de grupo formado por funcionários da ativa e aposentados do BB, cerimônia reforça representação de associados e associadas na gestão da entidade Os novos eleitos da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi) tomaram...