Notícias

CORREIO DO POVO E ZERO HORA DESTACAM PROTESTO DOS BANCÁRIOS E DA CUT PELA QUEDA DOS JUROS

Os jornais Correio do Povo e Zero Hora desta quinta-feira, dia 12, destacaram a manifestação do SindBancários, Federação dos Bancários do RS e várias entidades sindicais, organizada pela CUT-RS, realizada em frente ao prédio do Banco Central, em Porto Alegre. O objetivo foi cobrar a redução das taxas de juros e a geração de empregos e renda, como forma de enfrentar a crise e manter o Brasil no rumo do desenvolvimento.

Sob o título "Feijão e arroz contra a crise", o Correio do Povo publicou, inclusive, foto do protesto na capa, com a legenda "Ato público no Centro distribuiu comida para criticar juro, desemprego e renda". Também foi inserida reportagem na página de Economia.

Já a ZH publicou foto sobre a manifestação na notícia que aborda a redução da taxa Selic para 11,25%, que podia ter caído ainda mais. Para o presidente nacional da CUT, Artur Henrique da Silva, "o Copom deveria ter optado por um corte maior do que o anunciado. O Brasil ainda tem chances de registrar crescimento em 2009 e devemos ser ousados para não perder a oportunidade. Portanto, insistimos em queda mais acentuada e na diminuição do intervalo entre as reuniões do Copom, como forma de acelerar o processo de redução da Selic".

Veja a íntegra da notícia do Correio do Povo:

Feijão e arroz no ato de protesto contra juros altos

Arroz e feijão foram servidos à população ontem em Porto Alegre durante ato público realizado por bancários e sindicalistas em favor da queda da taxa básica de juros (Selic) e pela manutenção de empregos. O protesto, organizado pela CUT-RS, ocorreu em frente ao Banco Central (BC), na avenida Alberto Bins.

"O alimento simbolizou o prato na mesa dos trabalhadores, como forma de estimular o emprego, a renda, o consumo, a produção e o enfrentamento da crise mundial", disse o diretor do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região (SindBancários), Ademir Wiederkehr. A manifestação, que foi acompanhada de perto por policiais do 9º BPM na entrada do BC, precedeu à reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), em Brasília.

Os trabalhadores defendem a queda dos juros. "Só desta forma será possível remanejar recursos da especulação para a produção", atestou Wiederkehr. Segundo ele, cada ponto percentual a menos na Selic, significa economia de R$ 15 bilhões que podem ser investidos na geração de empregos.

Já a diretora da CUT-RS, Sônia Viana, defende que somente com a redução da taxa Selic o Brasil conseguirá enfrentar a crise econômica mundial.

 

Veja outras notícias

Advogada alerta para regras de transição

Após a Reforma da Previdenciária de 2019, que à época retirou direitos fundamentais de mais de 100 milhões de brasileiros(as, quem já estava no mercado de trabalho e perto de se aposentar pode utilizar uma das quatro Regras de Transição para se aposentar, como explica...

Funcef ataca democracia ao descumprir edital de eleição

Decisão temerária e sem transparência para reabrir inscrições de candidatos macula o processo A Fundação dos Economiários Federais (Funcef), que administra os fundos de previdência das empregadas e empregados da Caixa Econômica Federal, sem apresentar qualquer...

COE Santander conquista avanços para os Gerentes Empresas

Processo de negociação sobre Multicanalidade Santander ainda vai continuar para beneficiar todos os trabalhadores da rede de agências A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander saiu da reunião com a direção do banco, nesta quinta-feira (22), com...