Notícias

GERENTE ADJUNTO DO BANRISUL EXTRAPOLA NA COMPENSAÇÃO DE HORAS

Compensação não pode se transformar em um instrumento de assédio moral

O SindBancários continua atento a situações de pressão e assédio praticados por alguns gestores no processo de compensação das horas da greve. No Banrisul, o gerente adjunto da agência XV de Janeiro, em Canoas, extrapolou todos os limites.
Ele está transformando a compensação de horas em uma questão pessoal, ignorando os acordos existentes e fazendo uso de uma postura ofensiva e ameaçadora frente aos seus funcionários.

Diante das denúncias de que os funcionários da agência estavam sendo obrigados a fazer, todos os dias, duas horas extras cravadas, o diretor Administrativo do SindBancários, Célio Romeu Santos, e o diretor da Fetrafi-RS, Jorge Almir, foram ao local na quarta, dia 9, para tentar resolver a situação.

Os dirigentes deixaram claro que a compensação de horas não pode, sob hipótese alguma, se transformar em um instrumento de assédio moral. Durante a conversa, o gerente adjunto não teria reagido muito bem aos argumentos dos dirigentes sindicais.

Também afirmou que, na sua visão, obrigar os trabalhadores a compensar as duas horas sem observar a disponibilidade deles e a demanda da agência, como também só permitir que as horas não sejam feitas após o funcionário enviar justificativa por e-mail, não é uma forma de pressão.

O SindBancários tentou intervir e resolver a situação de forma pacífica. Infelizmente, não foi possível. Já denunciamos o caso à diretoria e faremos tudo para que esse tipo de postura tenha fim.

BGX

Denúncias como essa levaram o SindBancários a exigir do Banrisul a emissão de BGX para regular de forma mais clara o processo e evitar um clima de assédio moral, punição ou ameaças aos grevistas, assim como contribuir para um bom ambiente no retorno ao trabalho. Mesmo após o encaminhamento do documento, excessos continuam ocorrendo.

Na quinta, dia 10, um funcionário da agência XV de Janeiro denunciou que o gerente adjunto continua utilizando o assédio moral para pressionar os trabalhadores indiscriminadamente. Segundo o banrisulense, ao chegar no local de trabalho na quinta, o funcionário encontrou o BGX em seu e-mail e o repassou para todos os colegas.

"Não sei o que deu no meu adjunto, mas ele levou isso para o lado pessoal. Ao ver o BGX copiado no e-mail e repassado por mim, ele veio "à galope" até a minha mesa, com o tom de voz nitidamente alterado e feições distorcidas. Sentou em uma das cadeiras e me perguntou porque eu havia mandado o informativo por e-mail para ele. Mais do que de pronto, respondi que era para cientificar e reforçar aos interessados no assunto. Ele me interrompeu, dizendo: "já estava ciente e não precisava receber aquilo, só aceito ordens superiores", diz o banrisulense em sua denúncia.

Ignorando o fato de o e-mail ter sido enviado para todos os funcionários, o gerente teria dito que interpretou a correspondência eletrônica como uma advertência vinda de baixo para cima e que não iria tolerar esse tipo de postura de um funcionário.

"Durante todo o tempo, a postura e o tom de voz dele foi de ameaça. Intervi, perguntando se ele estava me ameaçando e dizendo que ele deveria controlar o tom de voz, afinal ele é meu chefe e não meu pai. Ele ficou em pé, elevou mais ainda o tom de voz e continuou com sua torrente de ameaças", continua o funcionário, em sua denúncia.

Os banrisulenses exigem respeito e o Sindicato vai garantir isso. Não vamos tolerar esse tipo de postura! Se você estiver sendo pressionado ou perseguido, denuncie para um diretor do SindBancários ou para o Tudo Tem Limite, através do telefone 3433-1225, e-mail tudotemlimite@sindbancarios.org.br ou pelo site http://www.sindbancarios.org.br//. Somente tendo ciência dos problemas e onde acontecem poderemos resolvê-los.

Após a denúncia, é interessante que o funcionário aguarde o SindBancários tomar as devidas providências e evitar o enfrentamento. Estamos apurando todas as denúncias e adotando as medidas cabíveis.

Confira o BGX encaminhada pelo Banrisul na íntegra:

Negociações Coletivas 2011/2012 – Compensação dos Dias Parados

IN 20 – EMPREGADOS

Negociações Coletivas 2011/2012 – Compensação dos Dias Parados

================================================================

Reiteramos que a compensação dos dias parados, conforme acordado na Convenção Coletiva 2011/2012, deve ser baseado no espírito colaborativo e no bom senso de ambas as partes, nunca prejudicando acordos firmados antes da greve, envolvendo, por exemplo, Abono Assiduidade e Férias.

O objetivo da compensação é atualizar o trabalho que restou acumulado, de forma a não prejudicar o funcionamento do Banco e os interesses dos Clientes.

Em hipótese alguma pode se tornar um mecanismo de punição ou forma de resolver ressentimentos.

Desta forma, salientamos às Administrações que viabilizem a execução das referidas compensações, procurando flexibilizar, caso necessário, compensações no início ou no final do expediente.

Diretoria

 

*SindBancários

Veja outras notícias

Itaú: vacinação contra a gripe começa na segunda 15

O Itaú dará início a sua campanha de vacinação contra a gripe na segunda-feira 15, com data de encerramento prevista para o dia 26 nos polos administrativos de São Paulo, e dia 30 nas agências/clínicas conveniadas. No dia 27, no Ceic, haverá uma ação para reforçar a...

Contraf-CUT realiza 4º Seminário Jurídico Nacional

Evento ocorrerá na sede da entidade, em São Paulo, nos dias 23 e 24 de abril, com participação do ministro do Trabalho, Luiz Marinho A Secretaria de Assuntos Jurídicos da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) realiza, nos dias 23 e...

Santander divulga calendário de vacinação

Ação faz parte de pauta permanente do movimento sindical, como elemento central na promoção da saúde A campanha de vacinação contra a gripe para todos os funcionários do Santander começa na segunda-feira (15). A vacina oferecida na campanha é a Quadrivalente,...