Notícias

LUCRO DO ITAÚ UNIBANCO ATINGE R$ 6,8 BI E SOBE 15,5% DE JANEIRO A SETEMBRO

Comissão de Organização dos Empregados tem negociação com diretoria do Itaú Unibanco nesta terça-feira à tarde, em São Paulo

O Itaú Unibanco divulgou nesta terça-feira seu balanço referente ao período acumulado de janeiro a setembro deste ano. O banco teve lucro líquido de R$ 6,853 bilhões, um aumento de 15,5% ante os R$ 5,931 bilhões de igual período de 2008.

Para Wanderley Crivellari, presidente do Sindicato dos Bancários de Londrina e coordenador da Comissão de Organização dos Empregados do Itaú-Unibanco (COE Itaú Unibanco), com um lucro de cerca de R$ 7 bilhões entre janeiro e setembro de 2009, o banco não tem como deixar de atender as reivindicações especifícias de seus funcionários, que diz respeito a isonomia dos direitos e benefícios. "Além destes temas, a COE do banco está discutindo também melhorias no plano de saúde, ampliação dos benefícios, garantia do emprego e a remuneração", completa Crivellari.

Os ativos totais aumentaram 53,7%, para R$ 612,398 bilhões, e o resultado bruto da intermediação financeira foi de R$ 24,245 bilhões, com alta de 107,43%. O resultado operacional somou R$ 14,487 bilhões, com crescimento de 85,32%.

O lucro líquido recorrente do Itaú Unibanco de janeiro a setembro deste ano foi de R$ 7,7 bilhões, com rentabilidade anualizada de 22,2% ante o patrimônio líquido médio. As informações constam de breve comentário enviado pelo banco ao mercado.

O patrimônio líquido consolidado totalizava R$ 48,9 bilhões no fim de setembro de 2009. O Índice de Basileia (indicador que mede a relação entre o capital da instituição e o volume de recursos emprestado) era de 16,3% no fim de setembro, com base no consolidado econômico-financeiro.

Os ativos consolidados atingiram R$ 612,4 bilhões em 30 de setembro, o maior entre os conglomerados financeiros privados da América Latina. A carteira de crédito, incluindo avais e fianças, atingiu R$ 268,7 bilhões, com crescimento de 5,5%. No Brasil, a carteira de crédito livre para pessoa física atingiu R$ 98,4 bilhões, com crescimento de 6,3%. Por sua vez, o segmento de grandes empresas atingiu R$ 90,3 bilhões, e o de micro, pequenas e médias empresas atingiu R$ 56,7 bilhões, com crescimento de 18,1%.

O lucro líquido da controladora do Itaú Unibanco caiu 11% no terceiro trimestre deste ano, na comparação com igual período de 2008, para R$ 2,268 bilhões. O lucro recorrente foi de R$ 2,687 bilhões, com alta de 0,37%. O resultado bruto da intermediação financeira foi de R$ 8,140 bilhões e o resultado operacional totalizou R$ 4,840 bilhões.

Inadimplência

O Itaú Unibanco apresentou uma taxa de inadimplência de 5,9% em setembro deste ano, acima dos 3,8% registrados em igual mês de 2008, considerando os atrasos superiores a 90 dias. O índice também é superior aos 5,4% do final do segundo trimestre.

Entre as pessoas físicas, a inadimplência chegou a 8,1% no final de setembro, índice estável em relação ao trimestre anterior e superior aos 6,4% registrados em igual mês do ano passado. Entre as empresas, o avanço foi maior, de 1,2% em setembro de 2008 para 4,1% ao final do terceiro trimestre. Em junho, os créditos em atrasos há mais de 90 dias representavam 3,1% do total de empréstimos às pessoas jurídicas.

Na avaliação da instituição financeira, a estabilidade no índice indica que o "pior momento do atual ciclo de crédito foi ultrapassado". No entanto, o banco considera que, para as empresas, os reflexos da crise financeira ainda afetam a qualidade de risco de crédito dessas companhias. Apesar da elevação dos atrasos acima de 90 dias, o Itaú Unibanco vê uma melhora nos empréstimos entre 60 e 90 dias. Nesse indicador, a taxa de inadimplência era de 1,1% em setembro, ante 0,8% no mesmo mês de 2008 e 1,3% em junho de 2009.

Para arcar com esses atrasos, o Itaú Unibanco registrou uma despesa de provisão para créditos de liquidação duvidosa (PDD) de R$ 4,299 bilhões no terceiro trimestre, uma alta de 1,1% em relação ao trimestre anterior. Já no ano, essa despesa chegou a R$ 12,383 bilhões, uma elevação de 57,6% em relação aos nove primeiros meses de 2008.

*Contraf-CUT, com Agência Estado

 

Veja outras notícias

Advogada alerta para regras de transição

Após a Reforma da Previdenciária de 2019, que à época retirou direitos fundamentais de mais de 100 milhões de brasileiros(as, quem já estava no mercado de trabalho e perto de se aposentar pode utilizar uma das quatro Regras de Transição para se aposentar, como explica...

Funcef ataca democracia ao descumprir edital de eleição

Decisão temerária e sem transparência para reabrir inscrições de candidatos macula o processo A Fundação dos Economiários Federais (Funcef), que administra os fundos de previdência das empregadas e empregados da Caixa Econômica Federal, sem apresentar qualquer...

COE Santander conquista avanços para os Gerentes Empresas

Processo de negociação sobre Multicanalidade Santander ainda vai continuar para beneficiar todos os trabalhadores da rede de agências A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander saiu da reunião com a direção do banco, nesta quinta-feira (22), com...