Notícias

MAPA DA DIVERSIDADE REVELA VERDADEIRA DIMENSÃO DA DISCRIMINAÇÃO NOS BANCOS

Dirigentes sindicais bancários de todo o país assistiram nesta segunda-feira, 27, à apresentação do resultado completo do Mapa da Diversidade, retrato detalhado sobre a presença de negros, mulheres e pessoas com deficiência nos bancos. A pesquisa foi apresentada pela Febraban na sede da Contraf-CUT.

Na avaliação da Contraf/CUT, os dados coletados pelo Mapa da Diversidade e o plano de ação aprovado pela 11ª Conferência Nacional dos Bancários serão referências nos debates para a construção da campanha salarial de 2009, juntamente com as cláusulas de igualdade de oportunidades que já constam na minuta mínima unificada.

O Mapa da Diversidade é um estudo detalhado sobre a presença de negros, mulheres e pessoas com deficiência no universo do emprego no setor bancário brasileiro, sendo montado a partir de uma pesquisa respondida por 204794 bancários do país inteiro. Foi realizado no período de 9 de abril a 23 de maio do ano passado, integrando o "Programa de Valorização da Diversidade do Setor Bancário". O objetivo desse levantamento foi o de verificar a situação de cada bancário em relação à cor, raça, sexo, gênero, idade e cargo (admissão, ascensão e remuneração).

Os números do Mapa da Diversidade revelam que as mulheres ganham 78% dos salários dos homens, encontrando ainda mais obstáculos para a ascensão profissional. Do universo de trabalhadores no setor bancário, apenas 19,5% são negros ou pardos, ganhando em média 84,1% do salário dos brancos. As mulheres negras são vítimas de maior discriminação, pois apenas 8% delas conseguem emprego nos bancos.

A adesão dos bancos ao Mapa da Diversidade foi voluntária. As instituições financeiras que aderiram foram os seguintes: ABN Real, Banco do Brasil, Banco Industrial e Comercial, Bradesco, Banco do Nordeste (BNB), Banestes, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Fibra, Mercantil, Nossa Caixa, Safra, Santander e Votorantim.

Esse levantamento foi acompanhado de perto por um Grupo de Trabalho, denominado "Pacto da Diversidade". Com base no resultado da pesquisa do Mapa da Diversidade, metas e prazos deverão ser estipulados para eliminar as desigualdades nos bancos.

"A apresentação do Mapa de Diversidade comprova a grande discriminação que existe nas agências e departamentos dos bancos. Sem dúvida, os banqueiros não respeitam as diversidades e valorizam um padrão único de comportamento e étnico. O movimento sindical há muito tempo pauta e denuncia a existência desta discriminação de gênero e raça. Precisamos criar mecanismos, inclusive através de cláusulas específicas na CCT, para corrigir estas distorções", enfatiza a diretora da Federação dos Bancários RS, Denise Corrêa .

Fonte: FEEB/RS

Veja outras notícias

Trabalhadores entregam reivindicações aos bancos

Encontro marca início da Campanha Nacional de 2024 para a renovação da Convenção Coletiva da categoria; Trabalhadores do BB e da Caixa também entregaram minutas específicas de renovação de acordos coletivos   O Comando Nacional dos Bancários, que representa as...

Bancários iniciam campanha de negociação salarial

Atos em todo o país mostram que 'perrengues' da categoria unificam luta por aumento real e direitos; em São Paulo, também houve manifestação contra juros altos Com o lema #ASuaLutaNosConecta, sindicatos de bancárias e bancários de todo o país foram às ruas, nesta...