Notícias

SUSPENDER LEIS TRABALHISTAS É INCONSTITUCIONAL, DIZ BERNARDO

Ministro diz que governo vai adotar medidas necessárias para evitar desemprego, mas rechaça idéia de Agnell.
Ele rechaçou a proposta do presidente da Vale do Rio Doce, Roger Agnelli, que, no final de semana, em entrevista ao Estado, defendeu a suspensão dos direitos trabalhistas para evitar demissões em massa.

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou nesta terça-feira, dia 16, que o governo vai adotar as medidas necessárias para evitar que os efeitos da crise financeira internacional tenham conseqüências ainda mais graves para a economia brasileira, especialmente no emprego. Ele rechaçou a proposta do presidente da Vale do Rio Doce, Roger Agnelli, que, no final de semana, em entrevista ao Estado, defendeu a suspensão dos direitos trabalhistas para evitar demissões em massa.

"Suspender os direitos dos trabalhadores, até onde eu sei, é inconstitucional. O tempo do AI-5 já passou", afirmou. "Vamos adotar as medidas que forem necessárias, mas não mandaremos a conta para os trabalhadores", garantiu o ministro do Planejamento, ao participar da cerimônia de posse da nova diretoria da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Agência Estado

Veja outras notícias

Bancários vão começar a mobilização para a Campanha Nacional

Organização e agitação pelas entidades e participação da categoria são fundamentais A data-base dos reajustes salariais, vales refeição e alimentação, valores da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e tantos outros direitos previstos na Convenção Coletiva de...

Eleições Cassi: Contraf-CUT apoia chapas 6 e 33

Entidade apoia fortalecimento da representação de associados dentro da caixa de assistência A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) declarou apoio às chapas 6 e 33 nas eleições na Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do...