Notícias

SUSPENDER LEIS TRABALHISTAS É INCONSTITUCIONAL, DIZ BERNARDO

Ministro diz que governo vai adotar medidas necessárias para evitar desemprego, mas rechaça idéia de Agnell.
Ele rechaçou a proposta do presidente da Vale do Rio Doce, Roger Agnelli, que, no final de semana, em entrevista ao Estado, defendeu a suspensão dos direitos trabalhistas para evitar demissões em massa.

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou nesta terça-feira, dia 16, que o governo vai adotar as medidas necessárias para evitar que os efeitos da crise financeira internacional tenham conseqüências ainda mais graves para a economia brasileira, especialmente no emprego. Ele rechaçou a proposta do presidente da Vale do Rio Doce, Roger Agnelli, que, no final de semana, em entrevista ao Estado, defendeu a suspensão dos direitos trabalhistas para evitar demissões em massa.

"Suspender os direitos dos trabalhadores, até onde eu sei, é inconstitucional. O tempo do AI-5 já passou", afirmou. "Vamos adotar as medidas que forem necessárias, mas não mandaremos a conta para os trabalhadores", garantiu o ministro do Planejamento, ao participar da cerimônia de posse da nova diretoria da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Agência Estado

Veja outras notícias

Bancários organizam Dia Nacional de Luta Menos Metas Mais Saúde

Categoria realizará manifestações nas ruas e nas redes sociais para reivindicar o fim de cobrança excessiva de metas O movimento sindical bancário organiza, em todo o país, ações para o "Dia Nacional de Luta #MenosMetasMaisSaúde", para o dia 24 de julho. O objetivo é...

COE Bradesco entrega minuta de reivindicações dos bancários

Documento aborda temas cruciais como a manutenção dos empregos, segurança das agências e contratação da remuneração total dos trabalhadores A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco entregou, na manhã desta sexta-feira (19), a minuta de reivindicações...