Notícias

BANQUEIROS ENROLAM E BANCÁRIOS SE PREPARAM PARA MOBILIZAÇÃO

Sem avanços nas primeiras rodadas com a Fenaban, sindicatos organizam suas bases

A Campanha Salarial dos Bancários mal começou e os bancos já reiteraram sua postura irresponsável nas primeiras negociações. Após uma sequência de negativas dos banqueiros nas duas rodadas iniciais da Campanha, a categoria já se prepara para mais um duro embate com a Fenaban. A Fetrafi-RS orienta que seus sindicatos filiados intensifiquem as atividades de mobilização e organização dos bancários, através da realização de atividades diária para informar a categoria e conquistar o apoio de clientes e usuários .

Negociações frustradas
Embora os bancários tenham pautado as questões de saúde, condições de trabalho e segurança nas duas primeiras rodadas, deixando o tema remuneração para a terceira reunião, a Fenaban negou todas as propostas apresentadas pelo Comando Nacional. Os bancos não aceitam a reponsabilidade de gerir problemas que são gerados por suas práticas liberais, voltadas apenas para as imposições do mercado, restringindo sua responsabilidade social ao marketing enganoso que veiculam através da mídia tradicional.

"Tivemos a intenção de descentralizar as negociações das reivindicações financeiras, abordando temas que também são de extrema importância para a categoria e que foram definidos pelos fóruns deliberativos dos bancários e validados pela Conferência Nacional. Mais do que nunca, tentamos expor aos bancos que nossas lutas são coletivas e vão além dos interesses da categoria. Incluímos reivindicações que atingem toda a sociedade brasileira como a redução de juros e tarifas, o acesso às agências bancárias, com atendimento feito por bancários e não através de correspondentes, onde não há segurança", observa o diretor da Fetrafi-RS e representante no Comando Nacional dos Bancários, Arnoni Hanke.

Saúde e condições de trabalho

As precárias condições de trabalho nos bancos brasileiros são verificadas todos os dias através do alto índice de afastamento gerado pelo adoecimento físico e psíquico dos trabalhadores do setor. A eterna submissão a metas cada vez maiores, à pressão pela superação dos limites físicos e mentais tem esgotado a categoria e levado muitos bancários a odiar o trabalho que executam. O desestímulo, o abandono e a falta de respeito dos bancos torna evidente o clima de violência organizacional imposto pelos bancos aos seus trabalhadores.

"Tentamos debater com os bancos soluções concretas para os problemas relacionados à saúde e condições de trabalho. No entanto, este diálogo vem ocorrendo de maneira unilateral porque as instituições não manifestam qualquer interesse em modificar seu modo destrutivo de gestão. É isso que o sistema tem feito. Tem destruído seus trabalhadores, sua autoestima, sua vontade de estar no local de trabalho, de atender bem os clientes e de ter boas perspectivas na carreira. Não é possível ter grandes expectativas quando você é explorado de maneira desumana. A Campanha Salarial é o momento de pressionar os bancos por mudanças efetivas. Nossa mobilização é imprescindível para avançar e garantir um novo rumo às negociações ", salienta o presidente do SindBancários, Mauro Salles Machado.

Mobilização já

A próxima rodada de negociação com a Fenaban ocorre na segunda-feira, dia 12 e vai tratar das reivindicações de remuneração. Na avaliação do movimento sindical, há grandes chances da conduta de negação dos bancos nas primeiras rodadas se repetir. Para dar uma resposta à altura da arrogância dos banqueiros, os bancários devem estar prontos para iniciar um amplo e crescente processo de mobilização.

"Até agora tentamos dialogar com a Fenaban, propondo soluções viáveis para os problemas gerais da categoria, mas não fomos atendidos. No ponto de vista da remuneração, o debate deveria ser ainda mais aberto e fácil, pois a lucratividade do setor, obtida somente no primeiro semestre deste ano, garante lastro para que os bancos concedam aumento real aos salários e a melhoria da PLR. Infelizmente, a cada ano o embate com os banqueiros se torna mais complexo. Por isso, nossa organização e força coletiva devem marcar a Campanha Salarial. Em cada ato, cada atividade, os bancários devem mostrar que estão conscientes dos objetivos que querem atingir", afirma Arnoni Hanke.

Assembleias gerais

A Fetrafi-RS envia orientações aos sindicatos nesta quinta-feira, para realização de assembleias gerais da categoria no dia 15 de setembro. O objetivo é informar os trabalhadores sobre o andamento das negociações da Campanha Salarial, avaliar resultados e definir estratégias de mobilização.

*Imprensa Fetrafi-RS

Veja outras notícias

Itaú: vacinação contra a gripe começa na segunda 15

O Itaú dará início a sua campanha de vacinação contra a gripe na segunda-feira 15, com data de encerramento prevista para o dia 26 nos polos administrativos de São Paulo, e dia 30 nas agências/clínicas conveniadas. No dia 27, no Ceic, haverá uma ação para reforçar a...

Contraf-CUT realiza 4º Seminário Jurídico Nacional

Evento ocorrerá na sede da entidade, em São Paulo, nos dias 23 e 24 de abril, com participação do ministro do Trabalho, Luiz Marinho A Secretaria de Assuntos Jurídicos da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) realiza, nos dias 23 e...

Santander divulga calendário de vacinação

Ação faz parte de pauta permanente do movimento sindical, como elemento central na promoção da saúde A campanha de vacinação contra a gripe para todos os funcionários do Santander começa na segunda-feira (15). A vacina oferecida na campanha é a Quadrivalente,...