Notícias

BANRISUL SEGUE COM PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO À GM MAS NÃO FALA NAS GARANTIAS

O BNDES vai analisar como fica a situação da subsidiária brasileira da General Motors, cuja matriz, desde ontem, é uma empresa concordatária, para definir sobre a concessão de empréstimos para seus projetos no país. Os novos pedidos de recursos da GM no banco, como as novas consultas já encaminhadas, só terão "sinal verde" da instituição se a área jurídica entender que a GM Brasil é outra empresa, independente da matriz americana e que não seja impactada pela concordata.

Caso contrário, não serão aceitos. Até agora, toda operação que o BNDES fez com a GM Brasil foi indireta, via agente financeiro. Ou seja, o risco é do agente, que recebe e repassa o dinheiro. No caso de empréstimo direto, a subsidiária dá como garantia fiança bancária.

Enquanto isso, o governo gaúcho segue com o plano de conceder empréstimo de R$ 150 milhões à indústria. Segundo reportagem publicada no jornal Valor Econômico desta terça-feira, dia 2, a própria fábrica de Gravataí será a garantia do empréstimo do Banrisul. Mas o Bndes considera isso muito pouco e entende que a empresa poderia oferecer outros ativos, fiança bancária ou ainda o fluxo de recebíveis como garantias.

Acontece que o governo Yeda negocia com a GM às escuras. E é esse comportamento que faz com que o Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região e a Federação dos Bancários RS questionem as condições do empréstimo. O movimento sindical quer, sim, preservar os empregos da fábrica da GM e nas sistemistas, em Gravataí, mas não admite que isso represente prejuízos ao Banrisul e ao povo gaúcho.

Os bancários questionam a utilização de recursos públicos numa situação dessas, uma vez que pode comprometer os projetos de desenvolvimento financiados pelo Banrisul. Por isso, é fundamental saber quais as garantias oferecidas nessas negociações para evitar perdas ao banco dos gaúchos.

Só que o governo tem mantido sigilo, postura questionada pela imprensa. A jornalista Denise Nunes, do Correio do Povo, questionou em sua coluna, dia 7 de maio, a falta de transparência na concessão de empréstimo à GM pelo Banrisul. A repórter diz que os jornalistas foram impedidos de acompanhar a reunião entre a montadora e o governo do Estado realizada no dia 6 de maio.

Segundo ela, "um encontro entre as cúpulas da GM (o vice-presidente José Carlos Pinheiro Neto e o diretor Luiz Moan) e do governo (Yeda Crusius, secretários da Fazenda, Planejamento, Sedai e presidente do Banrisul) lembrou os tempos do governo Antônio Britto, quando os executivos de montadoras frequentavam o Palácio Piratini pelos fundos e a imprensa era impedida de entrar. "

Denise disse que o titular da Sedai, Marcos Biolchi, único que se dispôs a um tanto de educação e respeito à informação de interesse público (a GM negocia com o Estado um investimento incentivado de 1 bilhão de dólares), informou que o motivo da reunião foi um só: a situação da operação brasileira (a segunda melhor no ranking mundial da Chevrolet e terceira da GM, afirmou) no contexto de crise da corporação.

Até faz sentido: como o governo justificaria incentivos e financiamentos de vulto quando a fragilidade da GM mundial é um fato? Segundo Biolchi, está tudo bem no Brasil. "Neste caso, por que fugir da imprensa?", questionou Denise. É isso que os bancários também querem saber.

Fonte: Imprensa/SindBancários com Correio do Povo e Valor

Veja outras notícias

Advogada alerta para regras de transição

Após a Reforma da Previdenciária de 2019, que à época retirou direitos fundamentais de mais de 100 milhões de brasileiros(as, quem já estava no mercado de trabalho e perto de se aposentar pode utilizar uma das quatro Regras de Transição para se aposentar, como explica...

Funcef ataca democracia ao descumprir edital de eleição

Decisão temerária e sem transparência para reabrir inscrições de candidatos macula o processo A Fundação dos Economiários Federais (Funcef), que administra os fundos de previdência das empregadas e empregados da Caixa Econômica Federal, sem apresentar qualquer...

COE Santander conquista avanços para os Gerentes Empresas

Processo de negociação sobre Multicanalidade Santander ainda vai continuar para beneficiar todos os trabalhadores da rede de agências A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander saiu da reunião com a direção do banco, nesta quinta-feira (22), com...