Notícias

CHEQUE SEM FUNDOS CRESCE 20% EM DOIS MESES

O número de cheques sem fundo cresceu 19,7% nos dois primeiros meses deste ano, em relação ao mesmo período de 2008, segundo apuração da Serasa Experian. No bimestre, foram devolvidos 23,1 cheques a cada mil compensados, ante 19,3 devoluções verificadas no acumulado de janeiro e fevereiro do ano passado.

Segundo os técnicos da Serasa Experian, o aumento da inadimplência com cheques se deve "ao maior endividamento de parte da população, às despesas sazonais de início de ano (como IPTU, IPVA e gastos escolares) e à redução do número de empregos formais no último trimestre de 2008".

"O desemprego é fator determinante para a inadimplência", informa a entidade, que pondera que, apesar da devolução em alta, "os cheques ainda apresentam uma das menores inadimplências do mercado".

Segundo dados do Ministério do Trabalho, entre novembro e janeiro, foram fechadas quase 800 mil vagas com carteira assinada. Em fevereiro, conforme números do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados na quarta-feira, dia 18, o saldo entre demissões e contratações ficou positivo, com 9.179 vagas criadas.

O levantamento da Serasa Experian aponta ainda que em fevereiro deste ano foram devolvidos 23,2 cheques a cada mil compensados em todo o país, em alta de 19% ante igual mês em 2008. No mês passado, foram devolvidos 2,19 milhões de cheques, e compensados 94,39 milhões.

Já comparação entre fevereiro e janeiro deste ano, o volume de cheques devolvidos por mil compensados subiu 1,3%.

Estados

Em relação à inadimplência dos cheques por Estados, o Acre apresentou o maior número (102,4) de devoluções a cada mil compensados nos dois primeiros meses deste ano. Nas cinco primeiras posições, além do Acre, aparecem Amapá (89,6), Roraima (89,3), Maranhão (87,5) e Sergipe (80,8).

Na outra ponta, São Paulo registrou o menor volume, com 17,8 cheques devolvidos a cada mil compensados.

Abaixo da média nacional (23,1), ainda aparecem Pernambuco (22,8), Minas Gerais (21,6), Paraná (20,9), Santa Catarina (20,3), Rio (19), São Paulo (17,8).

Por regiões, a Norte apresentou índice de 53,7, seguido pela Nordeste (37,6), Centro-Oeste (31,3), Sul (22,3) e Sudeste (19).

Fonte: Folha Online

Veja outras notícias

Advogada alerta para regras de transição

Após a Reforma da Previdenciária de 2019, que à época retirou direitos fundamentais de mais de 100 milhões de brasileiros(as, quem já estava no mercado de trabalho e perto de se aposentar pode utilizar uma das quatro Regras de Transição para se aposentar, como explica...

Funcef ataca democracia ao descumprir edital de eleição

Decisão temerária e sem transparência para reabrir inscrições de candidatos macula o processo A Fundação dos Economiários Federais (Funcef), que administra os fundos de previdência das empregadas e empregados da Caixa Econômica Federal, sem apresentar qualquer...

COE Santander conquista avanços para os Gerentes Empresas

Processo de negociação sobre Multicanalidade Santander ainda vai continuar para beneficiar todos os trabalhadores da rede de agências A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander saiu da reunião com a direção do banco, nesta quinta-feira (22), com...