Notícias

FINANCIÁRIOS ENTREGAM PAUTA DE REIVINDICAÇÕES

Trabalhadores vão lutar por aumento real nos salários, fim do assédio moral e da terceirização.

 Os debates entre os representantes dos financiários e a Fenacrefi (federação das financeiras) para a renovação do acordo coletivo da categoria começaram oficialmente nesta sexta 29, com a entrega da pauta de reivindicações.

Nas questões econômicas, os trabalhadores estão reivindicando reajuste salarial de 12,57% – composto pela reposição da inflação entre 31 de maio de 2010 a 1º de junho de 2011 (6,44% de acordo com o INPC) mais aumento real de 5,76% -, Participação nos Lucros e Resultados de três salários, cesta-alimentação de R$ 545, entre outras exigências.

A pauta dá também um grande destaque para o combate ao assédio moral e às metas abusivas. "É inadmissível que o trabalhador seja submetido a pressões e humilhações para vender produtos. O assédio moral é um dos maiores problemas que os trabalhadores enfrentam atualmente e estamos exigindo que as financeiras coloquem em prática medidas que acabem com isso. Os financiários não podem comprometer sua saúde, sua qualidade de vida, apenas para pagar as contas no final do mês como vem ocorrendo", critica a secretária-geral do Sindicato, Raquel Kacelnikas. "Temos propostas para acabar com o assédio moral e vamos nos empenhar para que as financeiras coloquem-nas em prática".

Outra exigência que está sendo feita é o fim da terceirização e do desvio de função. Atualmente muitos trabalhadores estão contratados como comerciários, promotores de crédito, entre outros enquadramentos, quando deveriam ser financiários e receber os mesmos direitos da categoria.

Outra exigência do Sindicato é que ocorra a unificação da data-base que em São Paulo ocorre em 1º de junho. "Há estados com datas diferentes e essa unificação é importante para organizar os trabalhadores nacionalmente", destaca Raquel.

A pauta de reivindicações contém ainda propostas para as condições de trabalho, segurança, saúde do trabalhador, entre outras. "A partir de agora é importante que os financiários acompanhem as negociações de perto e participem das manifestações que serão organizadas pelo Sindicato", acrescenta Raquel.

A próxima rodada de negociação acontece na primeira quinzena de agosto.

 

Veja outras notícias

Cassi: diretores e conselheiros eleitos tomam posse

Com a oficialização da posse de grupo formado por funcionários da ativa e aposentados do BB, cerimônia reforça representação de associados e associadas na gestão da entidade Os novos eleitos da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi) tomaram...