Notícias

MENSAGEM AOS BANCÁRIOS QUE FAZEM E FIZERAM A LUTA

Só vence quem luta, quem não esmorece, quem aguenta pressão, quem faz greve.

 

Mais uma vez queremos fazer algumas considerações sobre a greve:

A força do movimento se mede pelo número de agências paralisadas e não pelas que ficaram abertas. Foram mais de 9.000 agências no país,  mais de 900 no estado e mais de 35 em nossa base sindical.

A greve mostrou também aos trabalhadores que só a luta mantém os direitos conquistados e avanço para novas conquistas. A greve também mostrou a volta da solidariedade entre os trabalhadores, onde bancários se deslocaram de uma agência para outra, de uma cidade para outra, ajudando nos piquetes e na mobilização. Aqui, o Sindicato pede desculpas por não ter podido estar em todos os lugares, quando solicitado, mas foi o possível que pudemos fazer.

Para aqueles que nada fizeram e ainda tentaram desqualificar a nossa luta, pedimos uma reflexão: será que não poderiam ter ajudado a fortalecer o movimento, o que certamente faria com que a greve não se estendesse por  tanto tempo?

Agradecemos a todos que lutaram e ajudaram nas conquistas. O Sindicato como trincheira dos trabalhadores vai continuar lutando pelas questões especificas de cada Banco.  Com certeza novos embates virão, mas com a nossa força e a  nossa união continuaremos avançando, possibilitando  uma vida melhor para todos.

VIVA OS BANCARIOS! VIVA A CLASSE TRABALHADORA!

 

Sindicato dos Bancários de Carazinho e Região

 

Veja outras notícias

Santander ouve demandas dos empregados do RS

Representantes dos trabalhadores e do banco se reuniram nessa quarta-feira (10/4) Nesta quarta-feira, 10 de abril, dirigentes sindicais e empregados do Santander de todo o estado estiveram reunidos com representantes do banco na sede da Fetrafi-RS, em Porto Alegre. Os...

Funcef precisa de diretoria e conselheiros capacitados

Votação já começa na próxima semana; conheça bem os candidatos Nos últimos anos, a Funcef e os participantes de seus planos têm enfrentado inúmeras dificuldades e ataques, com projetos de lei e resoluções de órgãos de controle que reduzem as responsabilidades das...