Notícias

SEIS EM CADA DEZ BRASILEIROS TRABALHAM MAIS DE NOVE HORAS POR DIA

 Difícil encontrar um brasileiro que trabalhe apenas oito horas por dia. Essa é a conclusão que se pode tirar de uma pesquisa realizada pela Regus. De acordo com o levantamento, feito com 12 mil pessoas em 85 países, sendo 500 no Brasil, 43% dos profissionais brasileiros dedicam entre nove e onze horas diárias ao trabalho e 17%, mais de onze. Os números estão acima da média global, já que, no mundo, 38% das pessoas dizem trabalhar cerca de 10 horas por dia e apenas 10% dedicam mais de 11 horas diárias ao escritório. "De uma maneira geral, a pressão por resultados impulsiona esse aumento na quantidade de horas trabalhadas no Brasil", afirma Guilherme Ribeiro, diretor geral da Regus no país.

Além das longas jornadas, o estudo comprovou que os profissionais também levam trabalho para casa com frequência. No Brasil, 46% fazem isso pelo menos três vezes na semana, contra 43% da média global. Aqui, apenas 14% afirmam nunca terminar as tarefas profissionais em casa. Os trabalhadores que mais levam pendências para onde moram são os sul-africanos, os americanos e os holandeses.

Ainda de acordo com a pesquisa, uma quantidade menor de mulheres estende a jornada para além de 11 horas diárias. No Brasil, apenas 4% o fazem, contra 20% dos homens. No mundo, a tendência é a mesma: 5% contra 12%. Profissionais do sexo masculino também tendem a levar mais trabalho para casa. Entre os brasileiros, 49% dos homens o fazem pelo menos três vezes na semana, contra 30% das mulheres. Na média global, a proporção é semelhante, 48% e 32%. "As mulheres têm sempre a segunda jornada, que envolve os cuidados com os filhos e a administração da casa, o que toma várias horas do dia. Por isso, muitas mães, quando possível, optam por uma jornada de trabalho flexível ou de meio período", diz Ribeiro.

As pessoas que trabalham de forma remota costumam passar mais horas envolvidas com as tarefas profissionais, segundo a pesquisa. Entre os respondentes, 14% daqueles que exercem a função longe do escritório dedicam mais de 11 horas diárias ao trabalho, contra 6% dos que atuam na sede da empresa. No Brasil, 20% dos trabalhadores remotos exercem suas funções profissionais por mais de 11 horas diárias, contra 11% daqueles que vão todo dia ao escritório da companhia. "As pessoas que trabalham a distância conseguem ter maior tempo disponível para se dedicar às atividades, pois não ficam presas em congestionamentos ou sofrem com o estresse gerado pelo transporte coletivo", conclui Ribeiro.

Valor Online

Veja outras notícias

Santander ouve demandas dos empregados do RS

Representantes dos trabalhadores e do banco se reuniram nessa quarta-feira (10/4) Nesta quarta-feira, 10 de abril, dirigentes sindicais e empregados do Santander de todo o estado estiveram reunidos com representantes do banco na sede da Fetrafi-RS, em Porto Alegre. Os...

Funcef precisa de diretoria e conselheiros capacitados

Votação já começa na próxima semana; conheça bem os candidatos Nos últimos anos, a Funcef e os participantes de seus planos têm enfrentado inúmeras dificuldades e ataques, com projetos de lei e resoluções de órgãos de controle que reduzem as responsabilidades das...