Notícias

Sindicalistas recebem novo presidente do Banrisul

 

Fernando Lemos esteve na sede da Fetrafi-RS nesta quarta-feira e reafirmou compromisso com o banco público, a modernização das agências e discussão sobre plano de carreira.

Representantes do movimento sindical bancário receberam na tarde desta quarta-feira (23) o presidente do Banrisul, Fernando Lemos, na sede da Fetrafi-RS. A reunião sinalizou a reabertura de diálogo entre trabalhadores e diretoria do Banco.
O ex-presidente do SindBancários e atual Diretor de Comunicação da Fetrafi-RS, Juberlei Bacelo, abriu a conversa mencionando a preocupação do movimento sindical com o futuro do Banrisul, que se materializa na incansável campanha Eu Sou Banrisul. “Temos um grande desafio pela frente de não deixarmos o Banco se tornar uma nova CEEE, preservar o entendimento da maioria do povo gaúcho de que o Banrisul é fundamental para o nosso estado e de termos novamente uma boa relação com a diretoria do Banco”, afirmou, se referindo ao período anterior em que Lemos esteve na presidência da Instituição, entre 2003 e 2010.

Além de dar as boas-vindas ao presidente, que assumiu o cargo oficialmente no dia 16 de agosto, os dirigentes sindicais entregaram um documento com as pautas que pretendem discutir com a nova gestão do Banrisul.
Algumas delas foram mencionadas na conversa pelos membros do Comando Nacional dos Banrisulenses. “Eu acredito que há espaço para fortalecimento da empresa, apontando para o futuro, enfrentando as dificuldades das novas tecnologias e fazendo o debate pela defesa do banco público”, afirmou o presidente do SindBancários Porto Alegre e Região, Luciano Fetzner. “Enxergamos essa nova diretoria como promissora”, completou.
“A gente faz campanha há muitos anos em defesa do Banrisul público e sabe que o Banco é importante para a sociedade. Quando uma cidade pequena perde uma agência, toda a economia da cidade é prejudicada, o comércio local é esvaziado. A gente aposta nessa gestão no sentido de fortalecer cada vez mais o Banco, destacou o diretor de Comunicação do Sindicato, Gilnei Nunes.
Sobre a preocupação com a manutenção do Banrisul público, Lemos foi taxativo. “Não se fala em privatização. Eu só voltei por essa razão, por acreditar no banco público. Hoje, o Banrisul é a terceira ou quarta maior empresa do Estado e isso mostra a importância da instituição”, enfatizou. O presidente também foi taxativo ao afirmar que pretende resolver os passivos trabalhistas, apontando um prazo de seis meses para a formulação de propostas.

Plano de Carreira e outros debates

O debate sobre o Plano de Cargos, Funções e Salários (PCFS) também foi pautado na reunião. A diretora da Fetrafi-RS e coordenadora do Comando Nacional dos Banrisulenses, Raquel Gil, lembrou que o PCFS teve sua implantação suspensa em mediação no Ministério Público. “No nosso entendimento e do MP, esse plano pode gerar passivos trabalhistas que não contribuem para o fortalecimento do Banrisul”, afirmou. “Além disso, já estamos enfrentando problemas com o novo regulamento de pessoal. Temos essas e outras pautas para serem retomadas com a nova gestão”, finalizou antes de entregar a pauta por escrito ao presidente do Banco.


Lemos afirmou que precisa de tempo para “arrumar” o quadro de carreira do Banrisul. Ele também demonstrou preocupação com a saúde financeira da empresa e com a modernização das agências e da área de TI do Banco.
Sobre esse ponto, a diretora da Secretaria Geral do SindBancários, Silvia Chaves, apontou que “a saúde financeira e comercial da empresa passa pela saúde dos bancários” e que, por isso, é fundamental discutir melhores condições de trabalho.

Veja outras notícias