Notícias

SINDICATO COBRA CIVILIDADE DE PRESIDENTE DA CAIXA

As grandes filas dos últimos dias do lado de fora das agências são responsabilidade do banco, que tem que investir em comunicação para a população e estruturar o pré-agendamento por telefone

""

 

A Contraf-CUT, assessorada pela Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), enviou carta aberta de reivindicações durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) para a direção da Caixa. Entre os principais pontos estão o pré-agendamento por telefone para acessar o atendimento nas agências, a contratação de empresas especializadas para organizar as pessoas fora das agências e a principal, que é a campanha de comunicação ostensiva para orientar a população.

Auxílio emergencial: não vá para a agência da Caixa sem necessidade

O documento, que foi direcionado ao presidente, Pedro Guimarães, à gestão da rede de agências e à gestão de pessoas, é resultado da reunião da CEE/Caixa, por meio de videoconferência, realizada na noite da terça-feira 14, quando foram debatidas as demandas dos empregados de todo país e os aspectos necessários ao melhor desempenho com civilidade, preservação da vida e segurança das funções do banco público para as questões essenciais, além do auxílio emergencial, que tem levado milhões às portas das agências nos últimos dias.

Tempo Real: Acompanhe as notícias sobre o Coronavírus nos bancos

Perguntas e Respostas sobre o Coronavírus nos bancos

Os empregados relatam diversas ocorrências Brasil afora. Dentre elas, a falta de numerário nas regiões mais distantes das capitais, ausência de organização e segurança nas filas das agências, causando tumulto, brigas e aglomerações, principalmente pela falta de informação, que leva milhões a se concentrarem em frente de unidades da Caixa.

“É necessário garantir a civilidade, a segurança e a saúde da população e dos empregados da Caixa. Para isso, é fundamental o pré-agendamento e a contratação de empresa de segurança para organização das filas fora das agências”, enfatiza Dionísio Reis, diretor executivo do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e coordenador da CEE/Caixa.

Além disso, o documento traz outras cobranças dos empregados como o fornecimento de Equipamento de Proteção Individual (EPI) para todas as agências, não podendo abrir unidade sem o material de proteção, vacinação de todos os empregados, respeito à negociação coletiva, com a não implementação das Medidas Provisórias recém-aprovadas, Saúde Caixa para todos já, suspensão da cobrança do Credplan da Funcef e prolongamento do prazo para pagamento do equacionamento.

 

FONTE: SP BANCÁRIOS

Veja outras notícias

Assembleia aprova projeto que congela investimentos no RS por 10 anos

PLC era uma das últimas exigências para adesão do Estado ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul aprovou nesta terça-feira (17), por 32 votos a 13, o PLC 48/2022, que altera a lei estadual do teto de gastos para limitar o...

COE e Bradesco negociam retorno ao trabalho presencial

Funcionários devem voltar até o dia 6 de junho; ACT de Teletrabalho passa a valer a partir de segunda-feira (23) A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco se reuniu com a direção do banco nesta terça-feira (17) para debater o retorno ao trabalho...

%d blogueiros gostam disto: